Header Ads

As contradições de um país Olímpico

 O Brasil não mostrado é que não se pode cair no esquecimento


 Foto por Tércio Teixeira
Nessa sexta-feira ocorreu a tão esperada cerimônia de abertura da Olimpíada Rio 2016. Como apresentado aqui na Revista Pauta, a festa tinha a difícil missão de contar a história e a diversidade cultural brasileira para o mundo. O espetáculo foi apresentado e obteve inúmeros elogios da imprensa mundial e, principalmente, dos brasileiros. Em meio a momentos turbulentos na política e na identidade nacional, parece que, por um segundo, todos se sentiram, de fato, brasileiros "que moram num país tropical, abençoado por Deus". 

Realmente, foi uma linda abertura. Esteticamente deslumbrante e com performances ricas e variadas da cultura brasileira. Com patriotismo, sim, mas também com apelo à paz mundial e ao mundo sustentável. Talvez uma das cerimônias de abertura mais políticas já feita. Mas não se pode esquecer que a festa apresentada ontem não passa de ser apenas um espetáculo e, como todo bom espetáculo, a verdade apresentada é, em sua maioria, falsa. Não que o Brasil representado ontem não exista, é claro que existe. Mas o Brasil não mostrado é que não se pode cair no esquecimento - especialmente em um momento de tensão social

A foto acima viralizou na internet e dialoga com inúmeras questões políticas. Uma das mais importantes mensagens que ela tem a dizer ao Brasil e aos brasileiros é de que é possível, sim, fazer uma nação inteira vibrar junta por meio do esporte, da música, da dança, do teatro e da arte, mas que isso jamais deveria ou deverá ser feito às custas do povo brasileiro marginalizado e excluído.