Header Ads

A campanha do New England Patriots até a glória do Super Bowl LI



Os torcedores preocupavam-se com fatores psicológicos e falta de concentração, mas acreditavam integralmente no título de New England

Por Paula Berlim, Brasil
07 de Fevereiro de 2017 

Foto: Global Panorama
O New England Patriots sagrou-se campeão do Super Bowl LI em partida considerada a mais emocionante e épica da história do evento. Após estar perdendo no placar por 25 pontos de diferença, a estrela de Tom Brady apareceu na hora certa e a equipe conseguiu inesquecível virada no 'overtime' ao marcar touchdown e anotar 34 a 28 para a equipe de Foxborough. Reveja o caminho do grande campeão pela temporada regular até a glória da conquista do melhor Super Bowl de todos os tempos.

Início de temporada sem Tom Brady

Em 2014, O New England Patriots e o quarterback Tom Brady foram acusados de murchar a bola da partida da decisão da Conferência Americana contra o Indianapolis Colts, favorecendo, portanto, passes e facilitando o manuseio da bola nas condições climáticas daquela chuvosa noite. O caso resultou em enorme polêmica e foi julgado, inclusive, pela suprema corte americana. 

Apesar da NFL não ter levantado nenhuma prova concreta de que Brady teria se envolvido no caso, o astro dos Patriots foi suspenso por quatro jogos iniciais da temporada regular de 2016-2017. Sem o seu craque em campo, a equipe contou com Jimmy Garoppolo, quarterback reserva, para conquistar as difíceis vitórias. 

Nas quatro primeiras partidas, foram três vitórias e apenas uma derrota, para os Buffalo Bills, - um saldo considerado positivo dada às circunstâncias da equipe. Na volta de Tom Brady, o quarterback foi ovacionado pela torcida e lançou para três touchdowns e mais de 400 jardas só em seu primeiro jogo.

Jimmy Garoppolo Substirui Tom Brady no início da temporada regular // Foto: ShoneBK

A dura derrota para o Seahawks e a lesão de Rob Gronkowski

Na partida da semana 09, o Patriots vencia com certa tranquilidade o rival Seattle Seahawks, mas um apagão geral concedeu a vitória à equipe de Russel Wilson e companhia por 31 a 24. A derrota acendeu um enorme alerta para o comportamento defensivo da equipe.

Para piorar a situação, o tigh end Rob Gronkowski sofreu uma grave lesão nas costas e ficou ausente pelo resto da temporada, o que causou grande preocupação entre os torcedores de New England, uma vez que Tom Brady e Gronkowski formam uma das melhores duplas de ataque da NFL. A equipe ainda contava com a recuperação de outros jogadores essenciais como os wide receivers Julian Edelman e Danny Amendola, ambos importantíssimos na final do Super Bowl.

Rob Gronskowski passou boa parte da temporada lesionado e não jogou no Super Bowl 51 // Foto: WEBN-TV

Vitórias e os Playoffs

Desde a derrota para o Seahawks, o Patriots não perdeu mais e conquistou o posto de melhor defesa da temporada. Reservou seu lugar nos playoffs com folga e de forma antecipada. Entretanto, em algumas partidas a equipe demonstrava certa irregularidade e muita oscilação, apresentando períodos muito bons e outros não tantos. 

A irregularidade ficou muito clara na partida do Divisional Round dos Playoffs contra os Texans, em que no primeiro tempo o jogo foi muito equilibrado, mas no segundo foi um verdadeiro passeio de Brady e companhia. Os torcedores preocupavam-se com fatores psicológicos e falta de concentração, mas acreditavam integralmente no título de New England. Parecia a anunciação da história do Super Bowl. 

A maior virada de um Super Bowl de todos os tempos

New England Patriots chegou ao Super Bowl com muita confiança, mas sabia que do outro lado enfrentaria um adversário fortíssimo, com um excelente quarterback MVP da temporada  e um ataque destruidor. O que ninguém imaginou, porém, é a vitória esmagadora do Atlanta Falcons até o início do terceiro quarto de partida. Brady ficou completamente perdido no ataque, envolvido na força da defesa do Falcons e pouco conseguia fazer com o seu ataque. 

O quarterback sofreu sacks e até interceptação com volta para touchdown de Atlanta. O placar estava 28 a 3 e tudo parecia estar perdido, mas é aí que mora a beleza do futebol americano: um jogo com duração de quatro horas em que não se pode cantar vitória antes do último segundo.

Patriots anotou o seu primeiro touchdown apenas no fim do terceiro quarto, mas incendiou a partida com o segundo touchdown anotado por Danny Amendola. Com uma recepção incrível de Julian Edelman, a frieza do Running Back James White - que anotou três touchdowns - e a perfeição do ataque comandado pela impressionante liderança de Tom Brady, New England empatou a partida em 28 a 28 e levou a decisão ao primeiro overtime da história do Super Bowl. 

A sorte estava mesmo a favor dos Patriots, que recebeu a primeira posse de bola e conseguiu, com muita calma, paciência e inteligência de seu quarterback , registrar o touchdown que deixou a equipe, pela primeira vez, à frente no placar. A vantagem durou menos de um segundo, mas foi tempo suficiente para dar o quinto título à franquia e o quinto da carreira de Brady e o Head Coach Bill Belichick.

Se alguém duvidava da genialidade de Tom Brady, depois do Super Bowl LI ficou difícil encontrar argumentos para questionar. Ao ganhar seu quinto anel, o quarterback é isolado o maior vencedor do Super Bowl, quatro vezes MVP e líder da maior virada da história do evento. Uma lenda viva, Tom Brady é G.O.A.T - Greatest Of All Time.